Um bom ambiente de trabalho e de estudo depende muito da área psicológica. Porém, a dificuldade de equilibrar ambas situações faz que com as pessoas sofram mais que o habitual numa performance diária.

A Organização Mundial da Saúde (OMS) afirma que 300 milhões pessoas na população mundial sofrem com depressão. Outros 260 sofrem de transtornos de ansiedade. Um dos vilões citado pela organização é o risco do desemprego. Práticas inadequadas de segurança, saúde, comunicação e gestão de crises contribuem para este número alarmante.

Além disso, existem outros problemas mentais, mas não são tão destacados nos dados revelados pela Organização Mundial da Saúde. Confira:

• Ansiedade
• Dependência de álcool e outras drogas
• Distimia
• Depressão
• Mal-estar psicológico ou stress continuado
• Perturbações psicóticas, como a esquizofrenia
• Atraso mental
• Demências
• Transtorno bipolar
• Ansiedade social
• Agorafobia

A saúde mental está em processo de mudança no Brasil desde a década de 90, um momento em que várias discussões vieram à tona, como o Movimento de Reforma Sanitária e Reforma Psiquiátrica como elementos-chave no cuidado a saúde das pessoas.

Na busca de melhorar e contribuir na diminuição destes resultados obtidos pela OMS, a Organização Internacional Trabalho elaborou um manual (inglês) para as empresas seguirem modos para garantir uma melhor gestão de pessoas.

O paradigma está sendo quebrado e começa se compreender que a saúde mental como política de garantia de direitos humanos e dignidade da pessoa que passa a sofrer com isso. Tal concepção é fruto das mudanças ocorridas no entendimento de saúde como completo bem-estar físico, mental e social.

Você se interessa pela área da saúde? Conheça mais sobre a graduação em Psicologia do IPA.

Cadastre-se para receber nossos informes e newsletters!