Você provavelmente já assistiu a um vídeo no YouTube ou a séries e filmes no Netflix. Já parou para pensar que a cada minuto gasto nessas plataformas, menos tempo de audiência é direcionado aos canais de televisão? Os produtos com transferência de dados pela internet, sem a necessidade de download, são chamados de streaming. O meio é usado por plataformas, como YouTube, Netflix, Amazon Prime e Hulo, por exemplo.

Já a tecnologia On Demand são conteúdos sob demanda de produtos televisivos que podem ser acessados na hora em que o usuário quiser. Netflix, Globo Play, Fox Premium, Telecine Play e Now são alguns dos exemplos que usam tal plataforma.

Em especial a Netflix e o Youtube têm atraído – e muito – o público para fora da programação televisiva. Gratuitos ou com baixo custo, é mais barato consumir seus conteúdos do que os de televisão a cabo, por exemplo. Além disso, a quantidade de conteúdo de qualidade depositada nas plataformas segura cada vez mais o público.

Outra forma de se entender este fenômeno é a praticidade. Em uma pesquisa realizada on-line pela Netflix, entre agosto e setembro de 2017, 67% dos usurários assistem a séries e filmes fora de casa, por celular ou notebook. Pelo menos entre os jovens, atualmente os youtubers fazem mais sucesso e são mais famosos do que diversos atores de novelas. Filmes e séries disponibilizados na Netflix, como House of Cards, Stranger Things, Black Mirror, Narcos, entre tantos outros, são muito mais comentados do que novelas, séries ou filmes transmitidos tanto pela televisão aberta, quanto pela paga.

As formas que streaming e On Demand estão mudando a forma do consumo de comunicação têm sido inclusive pensadas pelas agências de publicidade, que têm investido mais cifras nas tecnologias. Apesar de seu crescimento das plataformas, 98% dos brasileiros têm televisão em casa e o número não deve ser desconsiderado. Não significa que a televisão não terá mais audiência, mas sim que aos poucos tem tido seu poder de alcance reduzido devido por conta das outras possibilidades que os usuários têm disponíveis.

E você, costuma utilizar serviços de streaming e on demand? O que acha dessas plataformas? Para acessar mais conteúdos como este, clique aqui e assine a nossa newsletter com textos sobre comunicação, tecnologia, gestão, saúde e muito mais.

Leia também

Cadastre-se para receber nossos informes e newsletters!