Você está aqui: Página Inicial / Extensão / Programas e Projetos / Projeto de Extensão Educação em Diabetes e Hipertensão através de uma vivência em grupo

Projeto de Extensão Educação em Diabetes e Hipertensão através de uma vivência em grupo

O processo de transição demográfico e epidemiológico que vem ocorrendo no país nas últimas décadas juntamente com a crescente evolução tecnológica na assistência à saúde tem influenciado o perfil da população brasileira. Estamos vivendo uma fase de transição inteiramente nova e interessante no desenvolvimento populacional de nosso país.

O crescimento da expectativa de vida da população é comemorado por todos e resulta de vários aspectos que contribuem para uma longevidade maior. Porém, o envelhecimento da população invariavelmente acarreta um aumento do número de doenças crônicas não transmissíveis (DCNT), responsável pela redução da qualidade de vida e por um grande número de óbitos em todo o país e no mundo. Dentre as DCNT’s mais frequentes, a Hipertensão Arterial Sistêmica (HAS) e a Diabetes Mellitus (DM) ocupam uma significância ímpar. Estas duas patologias têm uma importância no impacto da qualidade de vida das pessoas, pois apresentam índices elevados de incidência além de aumentarem significativamente o risco para as doenças cardiovasculares (BRASIL, 2013).

A adesão ao tratamento da HAS e do DM é importante para o usuário devido ao fato de propiciar o controle adequado da pressão arterial e da glicemia, como também contribuir para a redução da morbimortalidade ao controlar os fatores de risco (RIEIRA, 2005). Porém, vários aspectos podem dificultar a adesão do usuário. Aspectos sociais e econômicos, ocupação, estado civil, religião, espiritualidade, crenças de saúde, família, hábitos de vida e culturais, são inúmeros os fatores que influenciam na adesão ao tratamento. Ao profissional da saúde compete identificar essas dificuldades no sentido de buscar formas adequadas e criativas de enfrentamento dessa situação (SARMENTO, 2004).

A mudança de hábitos e estilo de vida requer um processo educativo em saúde e esse se dá de uma forma lenta e contínua. Uma das estratégias mais utilizadas no âmbito da saúde coletiva para a melhoria da adesão aos pacientes crônicos é a estratégia de grupos.

A importância da utilização da técnica grupal pode ser ilustrada pelo fato de que todo individuo vivencia suas experiências, a maior parte do tempo, convivendo e interagindo com distintos grupos. O ser humano na sua dimensão social se constrói nas relações. Tal como justifica Zimerman (2000) “o ser humano é gregário, e ele só existe, ou subsiste, em função de seus interrelacionamentos grupais”. Desde o seu nascimento, o indivíduo participa de diferentes grupos, numa constante dialética entre a busca de sua identidade individual e a necessidade de uma identidade grupal e social. A estratégia grupal ajuda o sujeito a construir uma nova identidade social a partir de uma realidade criada num ambiente acolhedor, subsidiada em valores saudáveis.

O projeto de Extensão do Centro Universitário Metodista IPA: “Educação em Diabetes e hipertensão através de uma vivência em grupo”; surgiu da possiblidade de ampliar a participação no tratamento, à conscientização para o autocuidado no intuito de evitar agravamentos mais sérios causados pela Hipertensão Arterial e Diabetes Mellitus. Grande parcela da população carece de uma linguagem acessível por parte de profissionais da área da saúde que lhe possibilitem uma base teórica e prática para que os mesmos possam exercer o autocuidado com maior tranqüilidade e eficácia. Foi criado no ano de 2012, através da união de propostas defendidas pela profª Ms. Rita de Cássia Mascarenhas e profº Ms. Jean Mauhs, do curso de Farmácia e Enfermagem, respectivamente. O grupo inicial de participantes foi formado a partir de usuários com Diabetes Mellitus e/ ou Hipertensão Arterial, atendidos nas Clinicas Integradas do IPA.

O projeto está vinculado ao Programa de Extensão Saúde e Cuidado Humano que visa desenvolver o trabalho numa perspectiva interdisciplinar com estudantes e professores no sentido de estabelecer parceria com a comunidade externa, por meio de processos de intervenção e investigação nas ações de promoção e prevenção de saúde. O projeto é coordenado por professores do Curso de Enfermagem e do Curso de Farmácia com a atuação interdisciplinar e ações multidisciplinares de diversas áreas da saúde (Psicologia, Serviço Social, Nutrição, Terapia Ocupacional, Ed. Física, Fisioterapia) assim como de alunos bolsistas e alunos em estágios curriculares e extracurriculares da Graduação e Pós-Graduação do Centro Universitário Metodista - IPA.

Através da realização de encontros em grupos com pacientes hipertensos e/ou diabéticos semanalmente, os professores e acadêmicos organizam atividades com um enfoque interdisciplinar para os participantes no intuito de fornecer subsídios concretos para os mesmos consigam um controle melhor de seus fatores de risco e instrumentalizando-os para o autocuidado. Nestes encontros são discutidos temas distintos com a participação de diversos profissionais relativos aos cuidados em saúde. Os encontros dos grupos acontecem semanalmente, nas terças-feiras pela manhã, com uma hora de duração. Ao final dos encontros, são realizadas medidas de glicemia casual (com jejum de cerca 3 horas) e pressão arterial, onde os participantes podem realizar o seu controle e interagir com os profissionais sobre os resultados.

 

Atividade de confraternização ao final do ano de 2015.

Ao longo destes anos do projeto de extensão já dispomos de uma história significativa na construção de uma abordagem singular e integral na estratégia grupal. Muitos profissionais e alunos contribuíram para tal construção. Os professores do Curso da Farmácia Ms Rita de Cássia Mascarenhas, Ms. Daniel Mendes, Dr. Maurício Schuller Nin e Da. Maria Isabel Fisher participaram da composição da equipe e continuam colaborando em iniciativas do projeto. Além destes profissionais, muitos outros colaboraram para a construção desta estratégia atualmente utilizada entre os participantes de nosso grupo.

Parcerias foram se formando ao longo do projeto de extensão no sentido de ampliar a atuação de nossas ações. Além de atuarmos constantemente nas ações promovidas pelo Programa de Extensão de Saúde e Cuidado Humano, estendemos a atuação do projeto através de parcerias geradas no trabalho contínuo. A ARAD (Associação Rio-Grandense de Apoio ao Diabético) e o CRF (Conselho Regional de Farmácia) foram entidades que possibilitaram este incremento na atuação, através de suporte jurídico, teórico e inserção em eventos.

A parceria com o Curso de Psicologia forneceu resultados positivos ao longo deste ano. Através da inclusão de alunos estagiários da disciplina de estágio básico II, os participantes do grupo foram possibilitados a desenvolver um novo olhar e um potencial incremento na prática grupal. Paralelamente, realizamos uma parceria com o Projeto de Extensão Costurando Identidades dos Cursos de Psicologia e Moda no intuito de realizar ações em saúde em uma cooperativa de reciclagem de resíduos sólidos. Esta é uma parceria que desenvolverá grandes possibilidades de intervenção positiva numa população de extrema exclusão social.

Atividade em Saúde na Cooperativa de Reciclagem de Resíduos Sólidos CEAR.

O trabalho educativo realizado em grupos tem conseguido ampliar a participação no tratamento, à conscientização para o autocuidado no intuito de evitar agravamentos mais sérios causados pela Hipertensão Arterial e Diabetes Mellitus, amenizando sofrimentos, minimizando custos financeiros através da construção de uma nova identidade social a partir de uma realidade criada num ambiente acolhedor, subsidiada em valores saudáveis.

 

Coordenação

Profa. Me. Karina Amadori Normann -

Profa. Me. Juliane Rossato -