Você está aqui: Página Inicial / Notícias / Ingestão de suco de uva integral na gravidez pode ajudar a prevenir doenças da mãe e dos filhos, aponta estudo do IPA

Ingestão de suco de uva integral na gravidez pode ajudar a prevenir doenças da mãe e dos filhos, aponta estudo do IPA

Bebida pode ser aliada na prevenção do câncer e da obesidade
Ingestão de suco de uva integral na gravidez pode ajudar a prevenir doenças da mãe e dos filhos, aponta estudo do IPA
Suco de uva traz benefícios transgeracionais, segundo pesquisa do IPA. Foto: Pexels

 

Pesquisadoras do Centro Universitário Metodista – IPA estudaram os efeitos do suco de uva integral na saúde de gestantes e seus filhos. Ratas gestantes foram colocadas sob teste, sendo que parte delas foi submetida a uma dieta rica em gorduras e outra a uma alimentação normal. Algumas das ratas fizeram ingestão do suco e outras, apenas de água. Os testes comprovaram que aquelas que beberam suco de uva durante a gravidez ficaram mais saudáveis, assim como seus filhotes. 

“Já se sabe que a dieta rica em gordura aumenta o risco de câncer de mama. Dessa forma, buscamos unir um produto que é reconhecidamente antioxidante e tem benefícios, com finalidade de reduzir os danos provocados pela obesidade e dieta rica em gordura”, declara Caroline Dani, coordenadora do Mestrado Acadêmico em Biociências e Reabilitação do IPA. Essa pesquisa integrou o projeto de pós-doutorado da professora, realizado na Georgetown University, em Washington nos Estados Unidos.

A coleta do material foi realizada no IPA e, em seguida, encaminhada para os Estados Unidos. “Em Washington, estudamos a glândula mamária das filhas, sendo que essas filhas não consumiram suco de uva, somente suas mães. Observamos que o suco de uva aumenta a proteção contra alterações genéticas que podem gerar células cancerígenas”, explica. A pesquisa ainda está em fase final de análise, mas já é possível dizer que a ingestão do suco ajuda tanto as mães, quanto os filhos.

“O suco de uva ajuda na prevenção de vários tipos de cânceres por diferentes mecanismos, principalmente por sua alta concentração de polifenóis. Ainda estamos em análise de resultados, mas com esse estudo, podemos ver que o suco de uva, além de contribuir para quem o consome, tem um efeito protetor transgeracional. Ou seja, o fato da mãe consumir na gestação pode proteger as gerações futuras contra doenças, como o câncer de mama”, declara.

Prevenção de obesidade durante a gravidez

Outra parte da pesquisa foi realizada no mestrado de Luciana Kneib Gonçalves. Luciana conta que todo o processo de experimento, análises e conclusão dos artigos durou cerca de dois anos. Após a gravidez e desmame dos filhotes, enquanto foi acompanhado o ganho de peso dos animais, foram realizados testes comportamentais e avaliação do perfil bioquímico.

“Dentre os principais achados, observamos que as mães que consumiram o suco de uva durante a gestação, associado ou não à dieta rica em gordura, obtiveram ganhos de peso inferiores ao longo da gestação quando comparadas às mães que ingeriram apenas água. O consumo de suco de uva conseguiu, também, reverter danos causados pela dieta hiperlipídica no perfil bioquímico, além de diminuir os danos oxidativos no fígado e cérebro de ratas gestantes”, explica Luciana.

“Através dos nossos resultados, podemos afirmar que o suco de uva pode ser um importante aliado à prevenção de algumas doenças que possam se desenvolver ao longo da gravidez, como a obesidade gestacional e aquelas com a sua etiologia associada ao estresse oxidativo, como colestase gravídica. Bem como, sugerir que o consumo materno de suco de uva pode influenciar positivamente o desenvolvimento cognitivo da prole, no entanto ainda mais estudos se fazem necessários para compreender melhor os mecanismos envolvidos nestes processos”, pondera a Mestre.

Internacionalização

A professora Caroline ficou seis meses na Georgetown University desenvolvendo análise dos tecidos mamários das filhotes fêmeas. “A viagem foi essencial, pois seria impossível fazer alguns testes na estrutura que possuímos no IPA. Ainda, permitiu um intercâmbio entre instituição, possibilitando um avanço na internacionalização”, diz.

As pesquisas foram apresentadas na 8ª Edição do Congresso Wine & Health 2017, realizado em fevereiro na Espanha. A docente foi a única representante da América Latina no evento, que reuniu cerca de 200 especialistas de todo o mundo nos campos de medicina, nutrição e vitivinicultura.

Ainda em março, a coordenadora esteve em Beaune, na França, participando do congresso internacional WAC 2017 (Wine Active Compounds), apresentando os resultados das pesquisas de Luciana e de Pedro Canete da Costa, sobre a influência do consumo de suco de uva à saúde de idosos. E no início de abril, a docente esteve em Paris participando da Reunião da Organização Internacional da Vinha e do Vinho, representando o Brasil na Comissão de Segurança e Saúde.

registrado em: